Friday, November 04, 2005

Florbela espanca-me...

13 comments:

Anonymous said...

Não sabia que gostavas dessas cenas ...

Anonymous said...

eu não sou flor.. mas sou bela! posso espancar-te?
ai que adorava.

Anonymous said...

Façam como eu, assinem as vossas mensagens...

Anonymous said...

Adoro Florbela Espanca, mulher incompreendida e grande poetisa de sensibilidade única.

Repare-se na perfeição do soneto.

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

Florbela Espanca

Florbela Espanca said...

Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!
Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher todo o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

llll said...

Lindo e sublime este Poema

A vida

É vão o amor, o ódio, ou o desdém;
Inútil o desejo e o sentimento...
Lançar um grande amor aos pés de alguém
O mesmo é que lançar flores ao vento!

Todos somos no mundo Pedro Sem,
Uma alegria é feita dum tormento,
Um riso é sempre o eco dum lamento,
Sabe-se lá um beijo de onde vem!

A mais nobre ilusão morre... desfaz-se...
Uma saudade morta em nós renasce
Que no mesmo momento é já perdida...

Amar-te a vida inteira eu não podia.
A gente esquece sempre o bem de um dia.
Que queres, meu Amor, se é isto a vida!

Florbela Espanca

185 said...

Está tudo em grande delírio!! Agora a traseira do meu blog é um blog de outros? Não me importo desde que ASSINEM!!

Florbela Espanca said...

Deixa dizer-te os versos raros
Que a minha boca tem a te dizer!
São talhados em mármore de Paros
cinzelados por mim para te oferecer
Têm dolência de veludos caros
Que foram feitos para te endoidecer
Mas, meu Amor, eu não te digo ainda
Que a boca de mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não fiz
Amo-te tanto E nunca te beijei
E nesse beijo, Amor que eu não te dei?
Guardo os versos mais lindos que te fiz...

Leitor devidamente identificado said...

Mas ó 185 se a gente assina, tu ficas a saber quem somos !

Lu said...

Ilustre poetisa
Grande Alma, grande genialidade
Cantou com simplicidade e Esplendor
enaltecendo o mais belo e nobre dos sentimentos o "Amor"

Dizem que palavras leva-as o vento
só sei que a sua poesia
permanecerá para sempre no tempo.

Anonymous said...

Não sei se será bem o amor que ela enaltece ...

Ao anónimo said...

O termo pode não estar bem empregue.
Não existe só uma linha de pensamento. A discordância entre o ser humano é tão natural como o ar que respiramos.
Eu penso que sim, apesar de todos os sentimentos que podem surgir "desilusões, sofrimentos, saudade" e também às fases da vida de Florbela Espanca. Vários são os poemas e muitas falam do sentimento amar.

Ratovski said...

Isto é uma mensagem anónima